Bruno Schulz é um dos raros escritores capazes de criar um mundo próprio, singular. O universo dos poucos contos que escreveu é habitado por uma única família, transfigurada em mitologia privada. Suas personagens estão imersas em um ambiente no qual beleza, melancolia, deboche e fantasia se mesclam de forma inusitada e encantadora. Preste especial atenção nos pássaros, elementos mitificados recorrentes em seus textos, e no pai do principal narrador das histórias, com sua instigante insanidade.

O AUTOR

Nome

Bruno Schulz

Nascimento

1892, Drohobycz, Império Austro-Húngaro (Ucrânia).

Língua

Polonesa

Sobre Bruno Schulz e sua obra

O LIVRO

Título

Ficção completa

Tradução

Henryk Siewierski

Editora

Cosac Naify

Contos

  1. Agosto
  2. A visitação
  3. Os pássaros
  4. Os manequins
  5. Tratado dos manequins (ou o segundo gênese)
  6. Tratado dos manequins (continuação)
  7. O tratado dos manequins (final)
  8. Nemrod
  9. O sr. Karol
  10. Lojas de canela
  11. A rua dos crocodilos
  12. As baratas
  13. A tempestade
  14. A noite da grande estação
  15. O livro
  16. Época genial
  17. A primavera
  18. Noite de julho
  19. Meu pai entra para o corpo de bombeiros
  20. O segundo outono
  21. A estação morta
  22. Sanatório sob o signo da clepsidra
  23. Dodo
  24. Edzio
  25. O aposentado
  26. Solidão
  27. A última fuga de meu pai
  28. O outono
  29. República dos sonhos
  30. O cometa
  31. A pátria

Fragmento

“Lembro-me particularmente de um condor, uma ave enorme de pescoço pelado, rosto enrugado e viçoso com muitas excrescências. Era um magro asceta, um lama budista cheio de uma impassível dignidade em todo o seu comportamento, que se guiava pelo cerimonial severo de sua grande estirpe. Sentado em frente a meu pai, imóvel em sua pose monumental dos sempiternos deuses egípcios, o olho coberto da belida branca com que cerrava de lado a pupila para encolher-se completamente na contemplação de sua nobre solidão, parecia, com esse perfil de pedra, o irmão mais velho de meu pai.” (Os pássaros, conto de Bruno Schulz)