DOMÍNIO PÚBLICO

/DOMÍNIO PÚBLICO

EÇA DE QUEIRÓS — UM DIA DE CHUVA

Era meia-noite e José Ernesto, que estranhara os colchões duros de folhelho, ia enfim adormecer, quando uma larga e pesada bátega se abateu bruscamente sobre Paço-de-Loures. Estremunhado, levantou a cabeça da dura fronha de moinha, cheia de renda que o incomodara também, e ficou um momento, com os olhos arregalados na escuridão, a escutar o [...]

MACHADO DE ASSIS — O ESPELHO

Esboço de uma nova teoria da alma humana Quatro ou cinco cavalheiros debatiam, uma noite, várias questões de alta transcendência, sem que a disparidade dos votos trouxesse a menor alteração aos espíritos. A casa ficava no morro de Santa Teresa, a sala era pequena, alumiada a velas, cuja luz fundia-se misteriosamente com o luar que [...]

By |Março 16th, 2017|DOMÍNIO PÚBLICO, Texto de autor brasileiro|0 comentário

EÇA DE QUEIRÓS — A PERFEIÇÃO

Sentado numa rocha, na ilha de Ogígia, com a barba enterrada entre as mãos, donde desaparecera a aspereza calosa e tisnada das armas e dos remos, Ulisses, o mais subtil dos homens, considerava, numa escura e pesada tristeza, o mar muito azul que, mansa e harmoniosamente, rolava sobre a areia muito branca. Uma túnica bordada [...]

By |Fevereiro 27th, 2017|DOMÍNIO PÚBLICO, Texto de autor português|0 comentário

FERNANDO PESSOA — CRÔNICA DECORATIVA II

Soube hoje uma coisa que me desgostou – que a Pérsia realmente existe. Eu julgava que a Pérsia era apenas o nome especial que se dava à beleza de certos tapetes. Agora parece que um explorador moderno afirma a sua existência. Se bem que os exploradores modernos sejam, como em geral todos os homens de [...]

By |Fevereiro 2nd, 2017|DOMÍNIO PÚBLICO, Texto de autor português|0 comentário

FERNANDO PESSOA — CRÔNICA DECORATIVA I

A circunstância humana de eu ter amigos fez com que ontem me acontecesse vir a conhecer o Dr. Boro, professor da Universidade de Tóquio. Surpreendeu-me a realidade quase evidente da sua presença. Nunca supus que um professor da Universidade de Tóquio fosse uma criatura, ou sequer coisa, real. O Dr. Boro — sinto que me [...]

By |Janeiro 21st, 2017|DOMÍNIO PÚBLICO, Texto de autor português|1 comentário

LIMA BARRETO — O HOMEM QUE SABIA JAVANÊS

Em uma confeitaria, certa vez, ao meu amigo Castro, contava eu as partidas que havia pregado às convicções e às respeitabilidades, para poder viver. Houve mesmo, uma dada ocasião, quando estive em Manaus, em que fui obrigado a esconder a minha qualidade de bacharel, para mais confiança obter dos clientes, que afluíam ao meu escritório [...]

By |Janeiro 1st, 2017|DOMÍNIO PÚBLICO, Texto de autor brasileiro|0 comentário

FERNANDO PESSOA — O BANQUEIRO ANARQUISTA

Tínhamos acabado de jantar. Defronte de mim o meu amigo, o banqueiro, grande comerciante e açambarcador notável, fumava como quem não pensa. A conversa, que fora amortecendo, jazia morta entre nós. Procurei reanimá-la, ao acaso, servindo-me de uma ideia que me passou pela meditação. Voltei-me para ele, sorrindo. — É verdade: disseram-me há dias que [...]

By |dezembro 14th, 2016|DOMÍNIO PÚBLICO, Texto de autor português|0 comentário

MACHADO DE ASSIS — MISSA DO GALO

Nunca pude entender a conversação que tive com uma senhora, há muitos anos, contava eu dezessete, ela trinta. Era noite de Natal. Havendo ajustado com um vizinho irmos à missa do galo, preferi não dormir; combinei que eu iria acordá-lo à meia-noite. A casa em que eu estava hospedado era a do escrivão Meneses, que [...]

By |dezembro 14th, 2016|DOMÍNIO PÚBLICO, Texto de autor brasileiro|0 comentário

MÁRIO DE ANDRADE — O PERU DE NATAL

O nosso primeiro Natal de família, depois da morte de meu pai acontecida cinco meses antes, foi de consequências decisivas para a felicidade familiar. Nós sempre fôramos familiarmente felizes, nesse sentido muito abstrato da felicidade: gente honesta, sem crimes, lar sem brigas internas nem graves dificuldades econômicas. Mas, devido principalmente à natureza cinzenta de meu [...]

By |dezembro 14th, 2016|DOMÍNIO PÚBLICO, Texto de autor brasileiro|0 comentário