Categorias
Narrativas

Lombada

Daqui tudo que vejo é a lombada. Cem Anos de Solidão. Macondo, tapetes voadores. Úrsula, el coronel Aureliano Buendía. Poeira, bananas, gritos de guerra, a chuva pela janela. Quinhentas páginas, trinta linhas por página, quinze mil trilhas percorridas a olho nu.

Minha arrebatada retina, dilata. Abro o livro? Não, novas trilhas, melhor. A lombada, minha biblioteca silente, as vozes. Cubro os ouvidos. Cantarolo.

Gabo delira, insulta repórteres. Cerra enfim os olhos, a cama qualquer. Os lençóis postos pra lavar. Móveis e objetos preservados, por ora.

Livro que se fecha, redemoinho. Já se vão duzentos mil anos de solidão, estima-se.

A lombada, inquieta lápide.